Blog

ensino-pesquisa-um.JPG

Com foco na qualidade na formação de novos profissionais e na excelência em ensino e pesquisa, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) realizou, nos últimos dias 6 e 13 de agosto, o Primeiro Curso para Preceptores/Tutores dos Programas de Residência do HCP. O evento aconteceu na biblioteca e foi uma oportunidade de construção de conhecimento e integração para os enfermeiros, fonoaudiólogos, nutricionistas, médicos, psicólogos, fisioterapeutas, farmacêuticos e assistentes sociais que formam a equipe de Residência da instituição.

O curso foi ministrado pelos coordenadores dos Programas de Residências do HCP, Roberta Farias e Roberto Bezerra, que iniciaram a programação com uma dinâmica na qual os termos “trabalho em equipe”, “inovação” e “união entre residentes e tutores” foram escolhidos pelos participantes para definir a experiência de aprendizagem no hospital. Para o Coordenador do Programa de Residência Uni de Enfermagem, Roberto Bezerra, “O curso tem como objetivo qualificar o colegiado de preceptores e tutores do HCP com foco nas metodologias ativas, permitindo mais dinâmica aos programas de residência da instituição, garantindo ferramentas aos profissionais e proporcionando um ensino de excelência”.

intranet-ensino.jpeg

METAS_DESTAQUE (1).jpg

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) implantou as Seis Metas Internacionais de Segurança do Paciente, estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A ação tem o objetivo de promover melhorias na assistência à saúde dentro das instituições hospitalares que fazem internamento no mundo. São elas: identificação correta do paciente (Meta 1), melhorar a comunicação entre os profissionais de saúde(Meta 2), melhorar a segurança na prescrição, no uso e na administração dos medicamentos  (Meta 3), assegurar cirurgia em local de intervenção, procedimento e paciente certo (Meta 4), higienizar as mãos para evitar infecções  (Meta 5) e reduzir risco de quedas e úlceras por pressão (Meta 6).

No HCP, para a execução de cada meta, foram criados protocolos, fluxos que norteiam e gerenciam as ações que contribuem para o sucesso na implantação das metas. "Todos os profissionais envolvidos passaram por treinamento, através da Educação Continuada, ferramenta utilizada pela Gerência de Qualidade do HCP para compartilhar e capacitar os colaboradores", destaca Renata Gomes Galindo, coordenadora do gerenciamento de risco. Os documentos foram baseados no protocolo oficial, criado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que controla, no Brasil, a aplicação das metas nos hospitais.

Para a implantação da Meta 1, por exemplo, os pacientes do HCP passaram a usar pulseiras brancas informativas (com dados pessoais), indicando o setor de atendimento, assim como os acompanhantes, que também passam a usar pulseiras coloridas, que permitem o acesso às dependências hospitalares. Para melhorar a comunicação entre os profissionais de saúde (Meta 2), foi criado um fluxo interno para o repasse das informações diárias, prevenindo  eventos adversos decorrentes de falhas nos processos de comunicação. Para a Meta 3, garantindo uma melhor administração dos medicamentos,  etiquetas coloridas passam a destacar os medicamentos controlados, de alta vigilância e refrigerados, minimizando possíveis eventos adversos à segurança dos pacientes, seja no preparo, na distribuição ou na aplicação dos remédios. "Além dos medicamentos segregados por cores, foi implantado o protocolo para pacientes alérgicos, onde é utilizada uma pulseira para identificar esses pacientes, com a finalidade de promover práticas seguras na assistência, identificando grupos de risco de alergia, proporcionando assim condições adequadas ao atendimento hospitalar, estabelecendo prevenção e principalmente adequado tratamento frente a reações graves e com risco de vida", destaca Raphaela Muniz, gerente de qualidade. 

A implantação do protocolo da Meta 4 teve como objetivo adotar medidas visando aperfeiçoar a comunicação entre os profissionais envolvidos, possibilitando, assim, o aumento da segurança na realização de procedimentos cirúrgicos, no local correto e no paciente correto, por meio do uso da Lista de Verificação de Cirurgia Segura desenvolvida pela Organização Mundial da Saúde – OMS.  Evitar a transmissão de infecções, de forma direta e indireta, através da higienização das mãos, faz parte das ações estimuladas diariamente dentro do HCP. Como forma de intensificar essa importante atitude, a campanha ADORNO ZERO foi retomada, além do aumento do quantitativo de dispensadores de álcool 70% e sabão em toda a instituição. Visando a efetividade desta ação (Meta 5), também foi realizada a aplicação de adesivos com o passo a passo da lavagem das mãos em todos os dispensadores, além de adesivos sobre a não utilização de adornos.

Por fim, para a Meta 6, com o objetivo de reduzir a ocorrência de queda de pacientes nos setores de internamento  e os danos decorrentes dela, o protocolo indicou medidas que contemplem a avaliação de risco do paciente na sua admissão no hospital e após procedimentos, e a garantia do cuidado multiprofissional em um ambiente seguro. Já o protocolo de prevenção de úlcera por pressão (UPP) também foi criado para prevenir outras lesões da pele. "Ambos os protocolos promovem iniciativas para educação do paciente, familiares e profissionais de saúde", acrescenta Raphaela.

A implantação das seis Metas OMS firmam a proposta institucional do HCP, que visa reconhecimento pela qualidade no atendimento oncológico para pacientes do SUS, com ênfase em sustentabilidade e satisfação dos usuários. Atualmente, o HCP obtém 31% dos leitos oncológicos de Pernambuco, é responsável por realizar 48% das cirurgias de mama, 75% das cirurgias de cabeça e pescoço do estado. A instituição ainda possui serviços próprios de quimioterapia (4.140 ao mês) e radioterapia (11.469 ao mês), além de oferecer a única urgência exclusivamente oncológica (1.254 atendimentos ao mês).

 

<<< Confira aqui o edital >>>

 

post_destaque.png

Profissionais de saúde do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), já podem ter acesso ao edital do novo Dinter - Programa de Pós-Graduação Interinstitucional em Saúde Integral com o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira – (IMIP), na modalidade doutorado. As inscrições para o preenchimento das oito vagas acontecerão até o dia 18 de outubro, já as atividades acadêmicas estão previstas para novembro de 2019, com duração de 48 meses.

Para a conclusão do Dinter, os futuros doutores em Saúde Integral precisarão atingir a carga horária exigida no Programa, entre aulas teóricas e práticas, ministradas no IMIP ou HCP, além de pesquisas nas áreas clínicas, epidemiológicas e translacionais do tratamento contra o câncer. Isso aumenta as chances de inserção dos centros de referência em oncologia da rede SUS de Pernambuco no cenário do ensino e de pesquisa em câncer no país e no mundo.

O Doutorado Interinstitucional (Dinter) tem como objetivo formar recursos humanos de modo a ampliar a titulação dos docentes da instituição parceira, garantindo o mesmo padrão de qualidade do doutorado do IMIP.  "A realização do Dinter com o HCP é muito importante para as duas instituições, uma vez que estamos qualificando os recursos humanos em saúde integral  e em particular na oncologia, e que irá impactar o Sistema Único de Saúde do nosso Estado", afirmou a superintendente de Ensino e Pesquisa do IMIP, Dra. Afra Suassuna.

O Dinter IMIP/HCP terá o IMIP, como instituição promotora, por meio da sua diretoria de Ensino  na pessoa do Prof.  Dr. João Guilherme Bezerra Alves e coordenação da Prof.ª Dra. Júlia Mello; já o Hospital de Câncer de Pernambuco, como instituição receptora, fica sobre a supervisão do Dr. Guilherme Costa, assessor da superintendência de Ensino e Pesquisa do HCP. 

O programa propõe-se a formar Doutores que atuarão fortemente na consolidação do ensino, da pesquisa e da assistência à saúde. "Essa parceria reforça o planejamento estratégico do HCP, através da Superintendência de Ensino e Pesquisa, na formação de doutores e de um colegiado na instituição que possibilite futuramente a criação do Programa de Pós-graduação Stricto Sensu na área de oncologia do próprio Hospital de Câncer de Pernambuco (mestrado e doutorado)", explica Dr. Guilherme Costa, assessor da superintendência de Ensino e Pesquisa. Atualmente o nordeste não possui uma pós-graduação Stricto Sensu em oncologia voltada para o estudo de diversos tipos de neoplasias. 

 

<<< Confira aqui o edital >>>

troco-destaque-site.JPG

Iniciada em novembro de 2018, a campanha Troco Solidário, da rede de supermercados Arco-Mix, vem ajudando mensalmente o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) com o valor arrecadado através do troco doado por seus clientes. Neste mês, referente ao arrecadado em julho, a ação repassou R$ 47.759,78, a nona entrega desde o início da campanha, totalizando mais de R$ 300 mil reais. A entrega simbólica, realizada na tarde do último dia 13, aconteceu na loja Arco-Mix Beberibe, com a presença do diretor comercial da marca, José Guilherme Santos. “O sentimento de ajudar vem de família. É prazeroso saber que estamos contribuindo com uma instituição tão importante e, consequentemente, com muitas pessoas”, comenta. Também estavam presentes a gerente de marketing e captação de recursos do HCP, Mariana Neves; e funcionários da loja. 

A campanha é realizada pelos operadores de caixa das 19 lojas e do atacarejo ArcoVita, que estimulam os clientes a destinarem as moedas do seu trocou ou, se preferirem, outro valor, para ajudar o HCP. O valor doado é discriminado na nota fiscal.  Juliana Barros, gerente da loja, fala do contentamento em contribuir com essa causa. “É uma satisfação participar de um projeto tão bonito e intenso. Graças ao trabalho dos nossos operadores, estamos conseguindo fazer a diferença”, destaca.

 

foto-saude-um.JPG

 

Manter uma boa alimentação, cuidar da higiene bucal, praticar atividades físicas, ter os exames de rotina em dias e cuidar da mente são hábitos que contribuem para uma vida saudável. Para estimular que os pacientes do Hospital de Câncer Pernambuco (HCP) adotem essas práticas, os residentes da instituição realizaram, na última segunda (05), uma manhã de orientações para quem estava aguardando consulta no prédio dos ambulatórios. A ação, realizada para marcar o Dia Nacional da Saúde, foi idealizada com foco na assistência integral e humanizada dos pacientes oncológicos, modelo de cuidado que é característico da instituição.

Durante toda a manhã, os pacientes participaram de conversas, esclarecimentos e serviços como aferição de pressão e glicose com os residentes de enfermagem, nutrição, odontologia, psicologia, serviço social, farmácia, fonoaudiologia e fisioterapia. “O evento tem uma característica interdisciplinar. A contribuição de cada profissional com sua visão impacta positivamente no plano terapêutico do paciente. Nosso foco sempre é a assistência ao paciente”, pontuou a coordenadora da residência multiprofissional do HCP, Roberta Farias.

Jacineide Marinete está em tratamento no HCP desde 2005 e, no dia em que foi realizar a marcação de cirurgia de retirada de um nódulo, aproveitou para se consultar com os profissionais. “Nosso dia a dia é bem corrido, então todas essas orientações são muito importantes. Aproveitei bem e falei com todos os profissionais. Estou muito satisfeita”, disse a paciente. Já Eneuza Luiza, que terminou seu tratamento e estava acompanhando seu pai na consulta ambulatorial, ficou feliz porque viu que suas taxas estavam todas controladas: “Aproveitei bem a ação. Temos que nos cuidar, né?”, brincou a paciente.

Confira as fotos da ação:

 

foto-saude-dois.JPG

foto-saude.JPG

foto-saude-cinco.JPG

foto-saude-quatro.JPG

foto-saude-seis.JPG

foto-saude-tres.JPG

DESTAQUE-SITE-LINFOMAS.png

 

Começa mais um mês e o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) inicia uma nova campanha de conscientização contra o câncer - o “Agosto Verde Claro”, um mês inteiro de alerta para a detecção precoce do linfoma, um tipo de câncer que se desenvolve no sistema linfático (sistema de defesa do organismo, responsável pela circulação dos glóbulos brancos, que atuam no combate das doenças causadas por vírus e bactérias). Esse tipo de câncer ganhou destaque após as personalidades Edson Celulari e Reynaldo Gianecchini, e a ex-presidente Dilma Rousseff serem atingidos pela doença.

Segundo o Instituto Nacional de Câncer de Pernambuco (INCA), 12.710 pessoas foram acometidas pela doença em 2018, sendo 6.850 homens e 5.860 mulheres, desse total, 4.956 pessoas vieram a óbito. Esse quantitativo representa a soma de acometidos pelos dois grupos de linfomas, Linfoma de Hodgkin e Linfoma não Hodgkin. “O linfoma ocorre quando uma célula normal do sistema linfático se transforma, cresce sem parar e se dissemina pelo organismo. A célula afetada, o comportamento e a agressividade desses linfomas os classificam como Linfoma de Hodgkin, 85% dos casos são curáveis se detectados precocemente, e Linfoma não Hodgkin, mais agressivo, tipo que atingiu os atores Edson Celulari e Reynaldo Gianecchini, e a ex-presidente Dilma Rousseff . Nos dois tipos, o diagnóstico precoce pode garantir o sucesso no tratamento, por isso é imprescindível atenção aos sintomas”, destaca a coordenadora do Serviço de Hematologia do HCP,  Danielle Padilha. Surgimento de ínguas (caroços na região do pescoço), sudorese noturna, perda de peso, febre e coceira na pele são os principais sinais de alerta. 

Alteração no sistema imunológico é o principal fator de risco para o aparecimento da doença, nesse caso, pessoas com infecções crônicas, doenças autoimunes e deficiências imunológicas têm maior propensão a desenvolver linfoma – ou seja, pessoas infectadas pelo vírus HIV, de Epstein-Barr e HTLV1 e pela bactéria Helicobacter pylori, pessoas que fizeram tratamento para outro tipo de câncer e transplante de órgão. “Fatores como a exposição a radiação, dieta com muita carne e gorduras, sedentarismo e exposição a agentes químicos, como fertilizantes e solventes, também são relacionados como fatores de risco para o linfoma”, alerta a médica do HCP Danielle Padilha.

O tratamento mais utilizado para o linfoma é a quimioterapia, porém, em casos mais agressivos, onde o paciente não reage bem à quimioterapia, e em alguns tipos de linfomas não Hodgkin é necessário o transplante de medula óssea e, até mesmo, a radioterapia. Entre 2018 e maio de 2019 foram diagnosticados 220 casos de linfoma no HCP, todos do tipo Linfoma não Hodgkin, forma mais agressiva da doença. 

 

intranet3.JPG

A solidariedade é um sentimento contagiante. A prova disso é que a equipe do supermercado Arco-Mix de Camaragibe estendeu a mão ao Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) para além da grande contribuição da campanha Troco Solidário e arrecadou, voluntariamente, lençóis, cobertores e toalhas para os pacientes da instituição. A entrega simbólica aconteceu na quarta-feira (24), quando funcionários, gestores e clientes da unidade se reuniram com o setor de Captação de Recursos do HCP numa manhã cheia de sorrisos, lágrimas e depoimentos emocionantes. “Estamos todos muito felizes porque vocês conseguiram”, disse a gerente do Arco-Mix Camaragibe, Adriana Melo, aos presentes.

Em seguida, o grupo circulou pelo ambulatório com uma apresentação musical para os pacientes que estavam esperando por consulta. Joana Cícera, que trabalha no setor de frios do supermercado, perdeu o padrasto há 8 meses em decorrência de câncer, fato que a fez se solidarizar ainda mais com a causa em prol do HCP. É por isso que ela fez questão de levar seus três filhos Henrique Augusto, Rebeca Letícia e Clécio Paulo para a ação. “Estou passando esses valores para meus filhos. Para mim, isso é um presente enorme”, pontuou a funcionária.

A diretora do Arco-Mix, Sandra Barros Lima, aproveitou o momento para agradecer pelo engajamento de todos: “Se cada um fizer o bem, podemos mudar a realidade do outro, e é isso que estamos fazendo. O mérito é de vocês, não é por acaso que somos o supermercado da família”, celebrou. Analista de captação de recursos do HCP, Yolanda Sanguinetti resumiu bem o momento: “Hoje sei que vocês saem daqui com o coração verde, que é a cor do HCP”, disse aos funcionários, gestores e clientes.

 

Usina-olho-dagua2.jpeg

Na tarde da última quinta-feira (18), o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) participou da 29ª SIPAT/SIPATR “Semana Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho”, realizada pela Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e a equipe de Segurança do trabalho da Usina Olho D’Água.  O evento, iniciado na última segunda-feira (15), contou com uma programação de palestras, que incluía um debate com o tema “Prevenção é Vida”, conduzido pela enfermeira do HCP, Jessyrayanne Barbosa, especialista em oncologia. Realizado para cerca de 100 funcionários do sexo masculino, a palestra contou com informações sobre a importância da prevenção e da detecção precoce do câncer de próstata e pênis.  “Se cada um puder compartilhar o que aprendeu aqui com outras pessoas, seus amigos e familiares, poderemos ajudar várias pessoas. A informação proporciona a detecção precoce do câncer, fator primordial para o sucesso do tratamento”, alerta Jessyrayanne.   

“Prevenção começa com conscientização, esse foi o tema escolhido para esta edição do evento. Não poderíamos deixar esse importante debate sobre o câncer de fora do cronograma”, destacou Manuella Trigueiro, técnica de segurança do trabalho da Usina Olho D’Água. O Hospital de Câncer e a Usina possuem uma parceria de mais de uma década e espera poder participar de outros encontros como esse. “Há mais de 10 anos a Usina é nosso fornecedor oficial de açúcar. Recebemos, mensalmente, uma doação de uma tonelada do produto, utilizado nas duas mil refeições produzidas diariamente em nosso refeitório. Esperamos que esses anos de parceria se multipliquem e que essa palestra seja a primeira de muitas”, acrescenta Mariana Neves, gerente de marketing e captação de recursos do HCP, que também estava presente na palestra. 

Usina-olho-dagua.jpeg

Inauguracao-patologia2.jpeg

 

Na manhã de hoje (12), foram inaugurados os ambientes restaurados do Departamento de Patologia do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), requalificação fruto de um convênio entre a instituição e o Grupo Ser Educacional. A reforma foi iniciada em outubro de 2017 e abrangeu o Laboratório de Técnica Histológica, a Sala de Macroscopia e o Arquivo, setores fundamentais no diagnóstico, classificação e estadiamento histopatológico das doenças. Toda a infraestrutura elétrica, iluminação, climatização, exaustão e estrutura física foram recuperadas e modernizadas, garantindo um ambiente de trabalho mais eficiente e seguro para os profissionais do departamento.

“A nova estrutura condiz com a filosofia da instituição. Fazemos o máximo que podemos para melhorar a condição do colaborador, porque sabemos que isso repercute no resultado para o paciente. Por isso, fizemos essa transformação”, pontuou o superintendente geral do HCP, dr. Hélio Fonsêca, que aproveitou para mencionar o importante trabalho realizado pelo serviço de Patologia da instituição. “Quero enaltecer a história dos grandes patologistas que passaram por aqui”, disse. Para o presidente do grupo Ser Educacional - mantenedor da UNINASSAU, Jânyo Diniz, “Fazer a requalificação é um passo que estamos dando para reforçar essa parceria com o HCP, que espero que dure muito tempo. A reforma possibilitou mais qualidade para o trabalhador e com isso, de fato, quem ganha são os pacientes”, afirmou.

Na ocasião, também estiveram presentes a superintendente administrativa do HCP, dra. Claudia Barbosa, o superintendente financeiro, André Amarante e o Assessor da Superintendência de Ensino e Pesquisa, Guilherme Costa. Do grupo Ser Educacional, marcaram presença o diretor executivo de ensino, Adriano Azevedo, a diretora acadêmica, Simone Bérgamo, a diretora adjunta de estágios, Raquel Porto e a consultora de saúde, Lúcia Leão.

O grupo conheceu o serviço realizado pelo setor e visitou a nova estrutura, cuja inauguração foi marcada pelo descerramento da placa de homenagem.  O Coordenador do Departamento de Patologia do HCP, Sérgio Moura, enalteceu a reestruturação: “Hoje vivenciamos o relançamento de um laboratório profundamente requalificado, que oferece a eficiência que o departamento precisa para enfrentar os desafios da patologia do século XXI. Certo de partilhar o sentimento dos trabalhadores e pacientes do HCP, manifesto aqui o mais profundo agradecimento ao grupo Ser Educacional e a todas as pessoas envolvidas na consolidação deste projeto”.

 

Inauguracao-patologia-laboratorio.jpeg

 

Inauguracao-patologia4.jpeg

auladeusg3.jpeg

 

Uma das formas de se diagnosticar o câncer de mama, tumor maligno mais comum entre mulheres em todo o mundo, é a biópsia guiada por ultrassonografia (USG). No Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), instituição que é referência no tratamento desse tipo de tumor, esse serviço foi expandido, já que agora o Departamento de Mastologia também o realiza em lesões impalpáveis. A novidade irá diminuir o tempo de espera das pacientes pela realização da biópsia e foi possível graças a três fatores: a doação de uma máquina de ultrassonografia para o Departamento de Mastologia da instituição feita pela empresa Produtos Roche Químicos e Farmacêuticos S.A.; a aula prática de biópsia guiada por Ultrassonografia (USG) ministrado pela radiologista dra. Patrícia Cravo à equipe que integra o setor e, por fim, a doação de 30 agulhas feita pela empresa Axon Healthcare que possibilitou a realização treinamento.

A biópsia guiada por USG é um procedimento por meio do qual é feita uma punção do material do tumor com o auxílio de uma agulha fina (Punção Aspirativa por Agulha Fina - PAAF) e de uma agulha grossa (Biópsia por Agulha Grossa – Core Biopsy), conforme a necessidade indicada pelo USG. Nessa punção, fragmentos do tumor são coletados e o material segue para análise, que indicará os resultados da presença ou não do câncer. "A agulha que está ligada a uma pistola faz disparos e nesses disparos, fragmentos do tumor ficam dentro dela", explicou a coordenadora do departamento de mastologia do HCP, dra. Denise Sobral. Além de diminuir a fila de espera pelo exame, a expansão do serviço para o setor de mastologia contribui com a agilidade no diagnóstico precoce do câncer de mama, fator fundamental para se alcançar a cura. "A gente vai aumentar o número de profissionais que fazem o procedimento no HCP. Em menos de 30 dias a paciente já receberá o resultado e, em caso de câncer de mama, já será iniciado o tratamento. Nós adiantamos o diagnóstico e tiramos a paciente do terror de estar carregando uma lesão sem saber exatamente o que é", pontuou a médica.

 

Aula prática

Realizada no último sábado de junho (29), o treinamento de biópsia por ultrassonografia foi ministrado voluntariamente por dra. Patrícia Cravo, que é referência em radiologia intervencionista em Pernambuco e no Brasil. Participaram do curso dez profissionais que integram a equipe de mastologia do HCP, incluindo os residentes. Também foram beneficiadas 11 pacientes da instituição que estavam precisando do procedimento.

"Essa assessoria serviu como ponto de partida para um novo aprendizado, para que se possa dar assistência à população, que é carente desse serviço. Conheço vários médicos do HCP e a parceria é no sentido de ter uma conduta multidisciplinar dentro e fora do hospital. Como a equipe de mastologia ganhou o equipamento e precisava do auxílio, disponibilizei a aula para que os pacientes sejam ainda mais beneficiados", pontuou a radiologista. "Dra. Patricia é uma pessoa que colabora muito com o HCP, ela sempre vem para nos ajudar. Acho que é importante enaltecer esses profissionais que vêm voluntariamente e contribuem com nosso serviço", elogiou dra. Denise.

auladeusg.jpeg

 

Doações

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) é uma instituição privada e sem fins lucrativos, que atende os pacientes de Pernambuco e de outros estados por meio do Sistema único de Saúde – SUS. Por esse motivo, precisa de doações contínuas de pessoas físicas e jurídicas para manter a qualidade no atendimento integral e humanizado aos pacientes. Para a coordenadora de captação de recursos do HCP, Norma Bravo, a doação da máquina de ultrassonografia para o setor de mastologia "assim como outras doações, ajuda o HCP a continuar com sua missão, que é acolher e cuidar de pessoas com câncer".

Avenida Cruz Cabugá, 1597, 50040-000, Santo Amaro - Recife - PE
Ligue: (81) 3217-8000
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Redes Sociais