Blog

11.JPG

Em cada rosto, era notável o sorriso contagiante e o olhar de felicidade. É o que se espera de uma comemoração tão especial: o Dia das Crianças do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP). Como não poderia deixar de ser, os pacientes da pediatria foram presenteados com muitas festas, afinal, eles merecem.

A primeira delas aconteceu na última segunda-feira (7), quando as gargalhadas tomaram conta da capela da instituição graças às artes dos mágicos Crispim e Montanha. Foi o oitavo ano da ação “Por um dia das crianças mais feliz”, idealizada pelo analista judiciário da Justiça Federal, Jeremias Germano, com o apoio da Polícia Federal, da Rede Feminina de Combate ao outros colaboradores.  Além da grande festa preparada para a pediatria, o grupo doou leites e suplementos para o hospital. “Me sinto muito recompensado com essa ação. É muito bom saber que os pacientes ficam felizes com a festa”, disse Jeremias.

Já na quarta-feira (8) o prédio amarelo do HCP ficou bem colorido com a festa das crianças organizada pelas voluntárias. Bolo, música, lanches, brincadeiras, personagens infantis, teatro e, claro, muitos presentes: tudo o que os pequenos amam. Para a coordenadora do serviço de psicologia do HCP, Karla Neves, momentos como esses são importantes para o tratamento dos pacientes pediátricos, “Estudos já apontam que essas ações voluntárias contribuem para elevar a autoestima e a confiança do paciente e, consequentemente, promovem a melhora no tratamento. Essas ações também deixam o dia mais leve e alegre”, disse.

9.JPG

12.jpeg

 

16.jpeg

 

 

arco-mix-varzea.JPG

A campanha Troco Solidário, idealizada pela rede de supermercado Arco-Mix e o atacarejo ArcoVita, existe através da confiança de seus clientes, que sabendo da seriedade da rede e das necessidades do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) doam as moedas do seu troco, ou se preferirem, outro valor para ajudar a instituição. Durante entrega simbólica, na tarde da ultima terça-feira (08), na loja Arco-Mix, no bairro da Várzea, o HCP recebeu o cheque simbólico do arrecadado em setembro R$ 48.577,01. 

 “Ajudar está em nosso DNA. A Arco-Mix é uma empresa familiar e nossos pais sempre ajudaram o próximo. Hoje, através da campanha e do Hospital de Câncer, conseguimos ajudar muitas pessoas de uma só vez. A instituição é muito importante para Pernambuco e ainda para os estados vizinhos”, destaca Bartolomeu Guilherme dos Santos, diretor de operações da marca.  

Iniciada em novembro de 2018, a campanha já totalizou mais de R$ 400 mil reais.

outubro-rosa1.jpeg

Na manhã da última terça-feira (1º), funcionários, voluntários, pacientes e acompanhantes do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) vestiram rosa e deram o start na campanha “O câncer de mama não espera para depois. Faça sua mamografia”. A ação tem o objetivo de chamar atenção para a importância da detecção precoce da doença, segundo tipo de câncer mais frequente entre as mulheres no Brasil e no mundo, atrás apenas do de pele não melanoma. 

Na abertura, voluntários da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Pernambuco fizeram grande ato em frente ao HCP. Com uma adaptação da música “É preciso saber viver” (composta por Erasmo Carlos / Roberto Carlos Braga), cantaram “É preciso fazer mamografia”, alertando para a importância do exame. A ação ainda contou com dança, através de um aulão de zumba, e conversa com motoristas e pedestres sobre a doença, além da distribuição de laços rosa, característico da campanha do mês de outubro.

De acordo com a coordenadora do serviço de mama do HCP, Dra. Denise Sobral, a realização da mamografia é  maneira de identificar a doença antes dos nódulos nos seios serem palpáveis. A médica recomenda que a mulher se submeta ao exame anualmente a partir dos 40 anos de idade, mas em caso de histórico familiar o procedimento pode ser solicitado em idades mais jovens e em intervalos menores. “Descobrindo a doença no início, há maiores possibilidades de cura. Nessa situação, também é possível fazer uma cirurgia conservadora, onde não precisamos retirar toda a mama, mas apenas o quadrante acometido pelo tumor. A cirurgia conservadora é melhor para a paciente em termos estéticos, mas também em termos de sobrevida”, explica a coordenadora do serviço de mama do HCP, Dra. Denise Sobral. 

“Toda pedra do caminho

Você pode retirar

Numa flor que tem espinho

Você pode se arranhar

Se o bem e o mal existem

Você pode escolher

É preciso fazer mamografia...”

Confira mais informações sobre o câncer de mama no site http://hcp.org.br/outubrorosa/

outubro-rosa10.JPG

outubro-rosa2.jpeg

outubro-rosa3.JPG

outubro-rosa4.JPG

outubro-rosa5.JPG

outubro-rosa6.JPG

outubro-rosa7.JPG

outubro-rosa8.JPG

outubro-rosa9.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

DESTAQUE-SITE.jpg

Confira mais informações sobre o câncer de mama no site: http://hcp.org.br/outubrorosa/

O diagnóstico precoce é fator primordial para o sucesso no tratamento de qualquer tipo de câncer. A campanha Outubro Rosa, já conhecida mundialmente, busca trazer esse alerta – a importância da detecção da doença no estágio inicial. Referência no tratamento de pacientes oncológicos no estado, o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) lança hoje, dia 1º de outubro, a campanha “O câncer de mama não espera para depois. Faça sua mamografia”. Na abertura da campanha, a Rede Feminina de Combate ao Câncer, grupo voluntário que atua no HCP, realiza um grande ato de conscientização – “Outubro Rosa. Eu escolho a vida”, em frente à instituição, a partir das 8h. Cerca de 50 pessoas farão panfletagem e conversa sobre prevenção, além da distribuição de laços rosa. Na parte interna, um grupo de beleza fará maquiagem, unha e cabelo de pacientes e acompanhantes. 

Dentro da missão de trabalhar apoiando programas de prevenção de câncer, o HCP faz mamografia durante todo o ano. “O Outubro Rosa serve como alerta para que a mulher se conscientize da importância da mamografia. Estamos trabalhando com o agendamento do exame diariamente. É muito importante que a mulher faça sua mamografia aqui ou em outra unidade de saúde. Quanto mais cedo for detectada a doença, maior a possibilidade de um tratamento menos invasivo e maior a chance de alcance de cura”, ressalta o superintendente geral, Hélio Fonsêca. 

De acordo com a coordenadora do serviço de mama do HCP, Dra. Denise Sobral, a realização da mamografia é  maneira de identificar a doença antes dos nódulos nos seios serem palpáveis. A médica recomenda que a mulher se submeta ao exame   anualmente a partir dos 40 anos de idade, mas em caso de histórico familiar o procedimento pode ser solicitado em idades mais jovens e em intervalos menores. “Descobrindo a doença no início, há maiores possibilidades de cura. Nessa situação, também é possível fazer uma cirurgia conservadora, onde não precisamos retirar toda a mama, mas apenas o quadrante acometido pelo tumor. A cirurgia conservadora é melhor para a paciente em termos estéticos, mas também em termos de sobrevida”, explica a coordenadora do serviço de mama do HCP, Dra. Denise Sobral. 

O câncer de mama é um tumor maligno que se desenvolve pela multiplicação desordenada de células na região da mama. Entre os principais sintomas estão nódulo único endurecido; irritação, inchaço, dor ou vermelhidão na mama; retração da pele secreção sanguinolenta no mamilo; inchaço no braço. O tratamento varia de acordo com o tipo e o estadiamento da doença, classificado de I a IV, de acordo com as características do tumor. “O tratamento dependerá do tamanho da lesão. Entre os principais procedimentos estão utilizamos a quimioterapia, radioterapia e cirurgia. Em casos mais agressivos, se faz necessário a combinação de dois ou mais procedimentos”, completa a médica Denise Sobral. 

Câncer de mama em números Apesar de rara,  a doença pode acometer também os homens. A cada 100 mulheres com câncer, um homem terá a doença. Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é o segundo tipo mais frequente entre as mulheres no Brasil e no mundo, atrás apenas do câncer de pele não melanoma, e representa 28% dos casos de câncer por ano. Ainda segundo o INCA, 59.700 pessoas tiveram a doença em 2018.

Confira mais informações sobre o câncer de mama no site: http://hcp.org.br/outubrorosa/

 

residencia-multi3.JPG

Um dia inteiro de atividades voltadas para a capacitação científica e assistencial dos profissionais que compõem o quadro de residentes do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP). Com o tema “Em defesa do SUS”, a 1ª Jornada Acadêmica do Programa de Residência em Oncologia do HCP reuniu os residentes e gestores da área multiprofissional na última quarta-feira (18) para palestras e mesas redondas com foco na excelência do serviço prestado ao paciente. “A residência não é apenas assistencial, mas tem um cunho científico e social. Estamos em prol do hospital e da população, e o investimento em ensino, pesquisa e extensão é importante para que haja o retorno para a comunidade. Por isso, trouxemos a proposta da jornada científica”, pontuou Antônio Vasconcelos, residente de enfermagem.

A palestra magna do evento foi ministrada pelo coordenador geral de Residências em Saúde da Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES), Thiago Vasconcelos, que trouxe um debate sobre os progressos e dificuldades acerca dos programas de residência no Sistema Único de Saúde (SUS). “Esses eventos são importantes porque promovem o debate político sobre os avanços e desafios das residências médicas e multiprofissionais dentro do SUS. O HCP já tem uma tradição grande no Ensino e Pesquisa, direcionado para um protagonismo na atuação oncológica”, disse.

residencia-multi1.JPG

De acordo com o coordenador da Residência Uni de Enfermagem, Roberto Bezerra, a 1ª Jornada é uma ação conjunta. “Quando o residente, a coordenação e a Secretaria de Saúde falam a mesma linguagem, há um consenso que reflete diretamente na qualidade da assistência prestada ao paciente. Além disso, os benefícios da Jornada são muitos, entre eles, ampliar a ação acadêmica e científica”, afirmou.

A 1ª Jornada Acadêmica é uma realização dos Programas de Residências do HCP em parceria com os residentes e apoio da Rede Feminina de Combate ao Câncer e do Instituto Profissional de Saúde e Educação (IPSE). “O evento foi excepcional. Sempre é bom atualizar os profissionais e trazer novidades para o ambiente de trabalho. Os residentes fizeram um excelente evento em prol da educação e saúde”, pontuou o presidente do IPSE, Jonathan Thallys.

 

residencia-multi2.JPG

 

residencia-multi.JPG

 

 

 

troco-solidario-decimaentrega.jpg

Iniciada em novembro de 2018, a campanha Troco Solidário, idealizada pela rede de supermercados Arco-Mix, realizou sua décima doação ao Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), nesta segunda-feira (09). Foram R$ 49.210,66 referente ao arrecadado no mês de agosto nas 19 lojas da rede e no atacarejo ArcoVita. O valor doado será utilizado para compor a quantia necessária para a compra de uma impressora 3D, destinada ao serviço de próteses reabilitadoras, no setor de odontologia do HCP. Na ação, os operadores de caixa estimulam os clientes a doarem as moedas do troco ou, se preferirem, outro valor. A quantia doada é discriminada na nota fiscal, garantindo a legitimidade da campanha ao colaborador.

Para Cristina Paraiso, funcionária do Atacarejo ArcoVita, no shopping Costa Dourada, o Troco Solidário representa uma ajuda o próximo. “É uma satisfação poder colaborar com uma instituição tão importante. Ninguém sabe o dia de amanhã. Hoje ajudamos quem está lá, mas amanhã a gente pode precisar do HCP e dessa ajuda”, lembra. Cristina está na rede Arco-mix há três meses, mas foi uma das colaboradoras que mais arrecadou no mês de agosto.   

 

 

destaque-prorrogada.jpg

A Superintendência de Ensino e Pesquisa do Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) confirmou a participação da instituição no Dinter, Programa de Pós-Graduação Interinstitucional em Medicina Translacional com a Universidade Federal de São Paulo – UNIFESP/EPM, na modalidade doutorado. O processo seletivo, que terá no próximo dia 23 de setembro, disponibilizará 10 vagas na área de Ciências da Saúde, concentração em Medicina Translacional. O início das atividades acadêmicas está previsto para novembro, com duração máxima de 48 meses. 

equipe-dinter.jpg

Atualmente o Estado não possui uma pós-graduação stricto sensu em oncologia voltada para o estudo de diversos tipos de neoplasias. Com esse doutorado, aumenta as chances de inserção dos centros de referência em oncologia da rede SUS de Pernambuco no cenário do ensino e de pesquisa em câncer no país e no mundo. “A incursão do HCP no seguimento de medicina translacional aplicada na área de Oncologia representa um importante passo para essa Instituição e para a capacidade de pesquisa em saúde do estado de Pernambuco”, destaca o doutor Guilherme Costa, assessor da Superintendência de Ensino e Pesquisa do HCP.

A coordenação do DINTER UNIFESP/HCP ficará com a Professora Dra. Dulce Elena Casarini (UNIFESP) e a Professora Dra. Leuridan Cavalcante Torres (HCP). “Essa parceria reforça a importância da formação de novos doutores na instituição como parte do planejamento estratégico do HCP, cujos objetivos principais são qualificar os profissionais e formar massa crítica de docentes para criação do programa de pós-graduação stricto sensu na área de oncologia no HCP (mestrado e doutorado)”, acrescenta Dr. Guilherme. 

Links do edital: 
Data Link
11.10.2019 [ERRATA] CALENDÁRIO DO EDITAL
05.09.2019 EDITAL

destaquesetembro.jpg

O mês de setembro procura trazer um alerta para profissionais de saúde, pais e a sociedade em geral sobre um importante tema, o câncer infantil. A campanha Setembro Dourado, incentivada pelo Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) e várias instituições de referência no tratamento contra a doença, busca estimular a detecção precoce do câncer, que aumenta as chances de cura e minimizar possíveis sequelas físicas e psicológicas. Apesar de raro, representando de 1% a 3% de todos os tipos de câncer em qualquer idade, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), 12.500 jovens devem ter tido a doença em 2018, ocasionando 2.704 mortes. 

Os cânceres são as principais causas de morte por doença entre 0 a 19 anos, atrás apenas das causas externas, os acidentes. Porém, se identificado no início, essa realidade pode mudar e as chances de cura são de quase 80%. Perda de peso contínua e inexplicável, dores de cabeça com vômito de manhã, inchaço ou dor persistente nos ossos ou articulações, protuberância ou massa no abdômen, pescoço ou qualquer outro local, desenvolvimento de uma aparência esbranquiçada na pupila do olho ou mudanças repentinas na visão, febres recorrentes não causadas por infecções, hematomas excessivos ou sangramento, geralmente repentinos, palidez perceptível ou cansaço prolongado – são alguns sintomas de doenças mais comuns, mas que podem identificar o aparecimento do câncer. “É necessário que as crianças tenham o seu desenvolvimento acompanhado por um profissional de saúde durante toda sua infância e juventude, assim eles podem identificar quando esses sintomas não estão relacionados com doenças comuns da infância, como viroses e resfriados”, destaca o oncologista pediátrico do HCP, Dr. Tadeu Calheiros.  

Diferente do câncer em adultos, que afeta as células que recobrem os diferentes órgãos, o câncer nas crianças geralmente atinge as células do sistema sanguíneo e os tecidos de sustentação. Mundialmente, a leucemia corresponde à maioria dos casos, seguido pelo tumor cerebral. Tumor de Wilms (afeta os rins), retinoblastoma (afeta as células que formam a retina), neuroblastoma (tumor fora do cérebro), Rabdomiossarcoma (câncer de partes moles – músculos), tumores do Sistema Nervoso Central, tumores ósseos e linfoma são os cânceres infanto-juvenis mais recorrentes. “Diagnosticado o tipo da doença, o tratamento começa imediatamente. Dependendo da extensão do caso, o paciente pode passar por cirurgia, quimioterapia, radioterapia ou a junção de ambos. Independente do tipo de tratamento, ele deve ser realizado de forma integrada com a equipe multiprofissional (enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, nutricionistas, fisioterapeutas, entre outros), que auxiliam nas possíveis alterações físicas e emocionais que podem ocorrer no tratamento”, explica Dr. Tadeu.

45561381_1735796883191333_1638279820104171520_n.jpg

No Dia Nacional do Voluntário, comemorado no dia 28 de agosto, a Rede Feminina Estadual de Combate ao Câncer, grupo que há mais de sete décadas atua no Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), promoveu uma manhã diferente e especial para pacientes e acompanhantes da instituição. O grupo de voluntários, formado por cerca de 300 pessoas, realizou um grande café da manhã coletivo, com sucos, chás, frutas, pães, bolos e claro, muita música e dança. A ação mostra o intuito principal do grupo, levar alegria e carinho para quem mais precisa. Ainda durante a manhã, a Rede promoveu uma missa em ação de graças, na capela do HCP. 

A Rede Feminina está no Hospital de Câncer desde o início da sua história, dedicando seu tempo para ajudar o próximo, trazer mensagens de carinho, momentos de alegria e muito apoio para os pacientes e acompanhantes. Os voluntários têm idades distintas, no seu dia a dia, atuam nas mais diversas áreas – alguns são advogados, professores, donas de casa, empresários, policiais, mas aqui desempenham um único papel, trazer amor aos que mais precisam.

O Hospital de Câncer parabeniza e agradece a todos esses “anjos de bata rosa” que formam a Rede Feminina Estadual de Combate ao Câncer.

dia-do-voluntariado.jpeg

dia-do-voluntariado2.jpeg

dia-do-voluntariado3.jpeg

dia-do-voluntariado4.jpeg

 

hospital-dia.jpeg

Uma parceria que vai consolidar ainda mais o Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP) como centro de referência em Ensino e Pesquisa foi firmada com o Hospital dos Servidores do Estado (IPSEP). Fruto do investimento em excelência e qualidade, o convênio entre as instituições objetiva a cooperação em projetos na área do ensino e da pesquisa, bem como o início de novos programas de residência, e foi marcado por uma visita do IPSEP ao departamento de Cuidados Paliativos do HCP no último dia 7.

Na ocasião, estiveram presentes Andrea Paula, gerente de enfermagem do IPSEP e Leidjane Virães, coordenadora de cuidados integrados do IPSEP, que visitaram o Hospital-Dia, modelo de cuidado focado na assistência integral dos pacientes que estão em cuidados paliativos, com a proposta de conhecer o projeto e implantá-lo no Hospital dos Servidores. “Achei que o modelo é dinâmico e possibilita qualidade da assistência e resolutividade em vários segmentos. A proposta de tratar o paciente enquanto ele está em casa, com a família envolvida no processo, reflete na melhoria dele”, pontuou Leidjane. Para o coordenador do Serviço de Cuidados Paliativos do HCP, dr. Fábio Malta, que apresentou o funcionamento do setor às visitantes, “É uma parceria científica que visa construir uma troca de conhecimento entre as duas instituições. Então é um convênio bem promissor e que traz ganhos em aprendizado, assistência e formação de novos profissionais para ambas”.

Também estiveram presentes a coordenadora de Residência Multiprofissional, Roberta Farias, e o assessor da Superintendência de Ensino e Pesquisa, Guilherme Costa. “O convênio vai fortalecer a residência de ambas as instituições, que só vão ganhar com o termo de cooperação”, pontuou Roberta. De acordo com  dr. Guilherme Costa, “A parceria vai fortalecer o HCP tanto em assistência ao paciente, quanto em pesquisa. Quando as duas áreas caminham juntas, possibilitamos os dados que comprovam a excelência do nosso serviço”.

HOSPITAL-DIA 

No modelo do Hospital Dia, o paciente recebe um atendimento personalizado e focado na desospitalização feito pela equipe multidisciplinar, que traça um plano terapêutico específico de acordo com a necessidade dele. No HCP, o serviço funciona desde maio de 2017, e, atualmente, atende cerca de 200 pacientes em cuidados paliativos assistidos a nível ambulatorial.

Avenida Cruz Cabugá, 1597, 50040-000, Santo Amaro - Recife - PE
Ligue: (81) 3217-8000
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Redes Sociais